O que você precisa para financiar um apartamento?

14 Março 2022
Por Paulo Prado

Mulher usando computador para saber o que precisa para financiar um apartamento

Por vezes, o financiamento imobiliário se torna o único meio para que o brasileiro alcance a moradia própria. Portanto, se esse for o seu caso, entender o que precisa para financiar um apartamento é indispensável para conseguir o recurso financeiro e adquirir o seu imóvel.

Para que isso aconteça, será necessário entender como funciona o financiamento de um apartamento, solicitar o recurso financeiro, seguir uma série de requisitos estipulados pela instituição bancária e passar por uma análise criteriosa de crédito antes de usufruir da quantia financiada.

Nos parágrafos seguintes, você confere esses e outros detalhes para a obtenção de um financiamento imobiliário. Boa leitura!

Como funciona o financiamento de um apartamento?

O financiamento imobiliário consiste em uma operação de crédito em que uma instituição financeira paga uma parcela significativa de um imóvel e recebe em troca, dentro de um período determinado entre as partes, a quantia emprestada, acrescida de juros, claro.

Assim, a partir do momento em que você decide financiar um apartamento e escolhe uma instituição bancária para fazê-lo, você deverá passar pelas seguintes etapas: o período de simulação do empréstimo imobiliário, a análise de crédito, a avaliação do imóvel, o fechamento do contrato e, também, o registro no cartório.

O que precisa para financiar um apartamento?

1. Renda mínima

Para financiar um apartamento, você terá que comprovar que possui condições financeiras para arcar com as parcelas mensais da dívida durante o período de pagamento.

Para isso, o banco irá analisar seus comprovantes de renda, o valor total financiado, a quantidade de parcelas e, também, os juros e taxas que serão adicionados sobre as parcelas durante o financiamento.

De modo geral, as parcelas não podem comprometer mais do que 30% da renda líquida do solicitante, caso isso aconteça, dificilmente o pedido do financiamento imobiliário será aprovado.

Mas, caso o banco conclua que você possui a renda mínima necessária para financiar um imóvel e boas chances de honrar sua dívida, o seu pedido de crédito passará para as próximas etapas.

2. Nome limpo

Se você está com o seu CPF negativado, será necessário limpar o seu nome antes de pensar em dar entrada em um financiamento imobiliário. Isso porque as chances de conseguir financiar um apartamento são menores se você estiver inadimplente.

Afinal de contas, antes de liberar o financiamento, as instituições financeiras costumam analisar a Score do solicitante, ou seja, a pontuação de crédito do consumidor. Quanto mais alta ela for, mais fácil será financiar seu imóvel.

O Score do consumidor é formado pelo seu perfil de pagamento, assim, de modo geral, se você cumpre com seus compromissos financeiros dentro do prazo, seu Score sobe. Agora, se você possui pendências em seu nome ou teve recentemente, a sua pontuação de crédito diminui.

3. Documentos

Uma série de documentos pessoais, certidões tributárias e comprovantes de renda são requisitados pelo banco credor no momento de avaliar o pedido de crédito, de modo geral, são eles:

  • Documento de identidade (RG, CNH);
  • Comprovante de estado civil, solteiro: certidão de nascimento; casado: certidão de casamento;
  • Comprovante de endereço (conta de luz, água, telefone);
  • Certidão conjunta de débitos referentes aos tributos federais;
  • Declaração do Imposto de Renda do último período (se você for isento, não há necessidade);
  • Comprovante de renda familiar (do trabalhador com carteira assinada é exigido os três últimos holerites; do autônomo, extrato bancário e carteira profissional).

A relação de documentos exigidos pode alterar de acordo com cada instituição bancária, embora essa seja a documentação solicitada em geral.

4. Aprovação do imóvel

Depois de consultar os documentos do comprador, do imóvel e do vendedor proprietário, o banco ainda prestará uma visita ao apartamento antes de conceder o financiamento imobiliário.

Nesse momento, uma empresa de engenharia presta uma visita ao imóvel, verificando se a propriedade pode ser utilizada como garantia para o banco. Além disso, a empresa também é responsável por preencher um laudo apresentando o valor estimado do apartamento.

5. Valor de entrada

Todo financiamento imobiliário precisa de um valor de entrada! Nesse caso, quanto maior for a quantia adiantada, mais fácil será conseguir o financiamento, visto que o valor financiado será menor e, consequentemente, mais fácil será alcançar a renda mínima para obter a carta de crédito.

Quanto preciso dar de entrada para financiar um apartamento?

Como dito anteriormente, também será necessário dar uma quantia de entrada para financiar seu apartamento, uma vez que os bancos não costumam parcelar 100% do valor do imóvel.

Inclusive, de modo geral, esse número não ultrapassa 80% da propriedade, sendo preciso pagar 20% do valor do apartamento assim que o negócio for finalizado.

Logo, o valor de entrada deve corresponder a, pelo menos, 20% do preço do apartamento, sendo que a quantia exata adiantada dependerá do valor do imóvel em questão.

Qual banco escolher para financiar um apartamento?

Busque um banco que te passe confiança, que te proporcione um negócio seguro e que cobre uma taxa de juros apropriada. Não feche negócio com a primeira instituição bancária que aprovar a carta de crédito para você, afinal, esse crédito pode vir acompanhado de juros abusivos.

Para selecionar o melhor banco para o seu financiamento imobiliário alguns fatores devem ser avaliados antes da escolha final, sendo os principais: a taxa de juros, o custo efetivo de crédito e o seu relacionamento com o banco.

Primeiramente, a taxa de juros cobrada em cima das parcelas do financiamento devem ser cuidadosamente analisadas, identificando se elas são justas e estão de acordo com a média praticada pelo mercado.

O Custo efetivo de crédito é a taxa que define a parcela mensal do financiamento, uma vez que, além dos juros, ela indica todos os custos incluídos na operação de crédito, como seguro de vida, do imóvel e outras taxas de administração.

Ou seja, a taxa de juros funciona apenas como um alerta, sendo o custo efetivo de crédito o resultado final que deve ser utilizado para fins de comparação.

Além disso, antes de contratar um financiamento em qualquer instituição bancária, avalie também outras taxas e tarifas praticadas pelo banco, afinal, você será cliente dessa empresa por muito tempo.

Como financiar um apartamento?

Depois de escolher o banco, cumprir todos os critérios exigidos por um financiamento e reunir tudo o que precisa para financiar um apartamento, basta concordar com as taxas praticadas pela instituição financeira e seguir todas as recomendações dadas por ela.

Para conferir um passo a passo de como fazer um financiamento, acesse também o nosso artigo: como financiar um apartamento: passo a passo.

Deixe seu comentário ou dúvida

Artigos relacionados

Encontre o apartamento ideal hoje mesmo. Ajudamos você!

Chame um consultor agora ou agende uma ligação.