Como juntar dinheiro para comprar um apartamento?

06 Abril 2022 | Atualizado em 18 Abril 2022
Por Paulo Prado

Mulher sorrindo e fazendo contas numa calculadora

Adquirir um imóvel pressupõe planejamento financeiro, simples assim: sem organização, sem casa própria, pelo menos para a maioria dos brasileiros. Se você faz parte desse grupo e deseja realizar seu sonho em breve, chegou a hora de aprender como juntar dinheiro para comprar um apartamento.

De antemão, fique sabendo que não há mágica. Será necessário priorizar o seu objetivo, abdicar de muitos prazeres momentâneos e trabalhar bastante durante muitos meses para atingir seu objetivo.

Mas, deu de lição de moral por enquanto! Que tal conferir um passo a passo prático de como guardar dinheiro para comprar seu apê próprio? Mas, atenção: se prepare para sair da sua zona de conforto.

6 dicas de como juntar dinheiro para comprar um apartamento

 

1. Gaste menos do que você ganha

O controle financeiro começa pelo conhecimento de quanto você recebe e gasta mensalmente. A partir dessas informações, você pode definir um plano de ação para conseguir guardar mais dinheiro.

Anote todas as suas receitas, inclusive as da sua família, caso a compra do apartamento seja feita de modo conjunto: contracheque, comissão, renda extra, vale tudo!

Do outro lado, registre todos os seus gastos, sejam eles fixos, como aluguel, luz, internet, mensalidades ou variáveis como alimentação, transporte, viagens, restaurantes.

Depois de diminuir seus ganhos pelos valores gastos mensalmente, você terá em mãos números concretos para avaliar suas finanças. Sem achismos e sim um indicador real da saúde do seu bolso.

Resumidamente, se você está gastando mais do que ganha, será necessário rever seu comportamento financeiro, mudar hábitos e reduzir custos antes de juntar dinheiro para comprar seu apartamento.

2. Elimine suas dívidas

Quitar suas dívidas, especialmente contas que estão em atraso. Faz parte da reeducação financeira e, por consequência, de juntar dinheiro para comprar seu apartamento sem se endividar no processo. Não compensa atrasar suas contas para guardar dinheiro, uma vez que você terá que pagar a dívida acrescida de juros depois.

Se preferir, você pode fazer as duas coisas paralelamente, mas nunca deixar de cumprir seus compromissos financeiros pelo benefício de outro objeto de desejo, ainda mais dessa magnitude.

Principalmente se você possui outros parcelamentos altos, como o financiamento de um carro, já que pagar dois financiamentos ao mesmo tempo pode sobrecarregar o seu orçamento.

3. Registre suas movimentações financeiras

Depois de saber de onde vem e para onde vai todos os meses o seu dinheiro, chegou a hora de manter esses números organizados, centavo por centavo.

A única forma de fazer isso é registrando todas as suas movimentações financeiras, ou seja, anotando tudo o que entra e tudo o que sai do seu bolso, independentemente do valor. Desde a compra de um pãozinho na padaria até a compra de um celular novo, por exemplo.

De preferência, categorize suas despesas, assim você saberá com o que mais gasta ao final do mês, podendo pensar em alternativas para reduzir esse tipo de gasto no próximo mês.

Fazendo isso, você cria um mecanismo de defesa para suas finanças, priorizando o que realmente é importante: seu futuro apartamento.

4. Guarde primeiro, gaste depois

Logo após quitar suas dívidas e se certificar que ganha mais do que gasta, a técnica de poupar primeiro e gastar depois é o que fará com que você alcance seu objetivo. Afinal de contas, se você deixar para guardar no final do mês, provavelmente não terá.

Para ajudar nessa organização, você pode utilizar o método financeiro 50-30-20, dividindo seu salário em três partes. 50% vai para gastos essenciais, 30% para gastos supérfluos e 20% para seus objetivos financeiros, investimentos ou dívidas.

Método 50-30-20 para juntar dinheiro para comprar apartamento

Ou seja, assim que seu salário cair na sua conta, o ideal é destinar automaticamente 20% desse valor para a compra do seu apartamento. Seja em uma conta separada, na poupança ou em outros investimentos, como no tesouro selic, por exemplo. Apenas guarde, não espere sobrar.

5. Use ferramentas de controle financeiro

Fazer um planejamento e controle financeiro de cabeça é difícil mesmo, uma vez que essa abordagem abre margem para erros. Por isso, faça uso contínuo de ferramentas que te ajudem a cuidar das suas finanças.

Seja no papel, em uma tabela de excel ou do google sheets ou até mesmo em um aplicativo de celular, o importante é controlar atenciosamente todas as movimentações. Porém, quanto mais tecnológico e prático melhor, não é mesmo?

De modo geral, aplicativos financeiros utilizam categorias para suas receitas e despesas, mostram gráficos e geram relatórios para facilitar o seu controle. Tudo isso de forma simples e extremamente visual, ajudando sua compreensão.

O Mobills, por exemplo, é um aplicativo que permite a categorização de suas despesas e receitas, montar um orçamento financeiro, criar objetivos e ainda conectar suas contas e cartões, lançando seus gastos automaticamente.

Portanto, crie uma categoria ou meta intitulada “apartamento” e alimente-a todos os meses. Você ficará orgulhoso do seu comprometimento e pensará duas vezes antes de gastar em outras coisas.

6. Faça renda extra

Rufem os tambores, porque a renda extra chegou.

Se você quer adiantar o processo de compra do seu imóvel, que tal fazer uma renda extra e aumentar a sua receita mensal? Pegue um hobbie ou habilidade sua e rentabilize!

Sabe tocar violão? Ofereça aulas de música. Sabe falar inglês? Dê aulas do idioma. Sabe fazer a declaração de Imposto de Renda? Declare o IR de seus amigos. É um bom vendedor? Faça bicos de garçom no final de semana.

Quanto guardar por mês para comprar um apartamento?

Quanto mais melhor, sendo o mínimo 20% da sua renda mensal, pensando no método 50-30-20. Agora, se você for fazer uma renda extra, por exemplo, o ideal é direcionar esse ganho diretamente para a categoria “apartamento”.

Se, por algum motivo, aconteceu algum imprevisto e você ficou apertado em um determinado mês, guarde o que conseguir. Afinal, poupar ou investir é um hábito que deve ser cultivado, mesmo em situações adversas ou principalmente por conta delas.

Aqui o importante é a constância, além de manter o foco no prêmio final: sua casa própria.

Quanto preciso dar de entrada para comprar um apartamento?

De modo geral, os bancos e construtoras não financiam 100% do valor do imóvel, comumente o valor parcelado corresponde a 80% do apartamento.

Por consequência, você precisa dar de entrada pelo menos 20% do valor do imóvel. Assim, exemplificando, caso você compre uma propriedade de R$ 300 mil, a entrada deverá ser de R$ 60 mil.

Como comprar um apartamento sem ter dinheiro guardado?

Aplicando as seis dicas que a nossa equipe preparou para você juntar dinheiro, ao menos para dar o valor de entrada do imóvel, o restante da quantia você pode financiar.

Você consegue financiar um apartamento se cumprir alguns critérios básicos estipulados pela maioria das instituições financeiras, como ter renda mínima para sustentar as parcelas do financiamento e ter o nome limpo.

Deixe seu comentário ou dúvida

Artigos relacionados

Encontre o apartamento ideal hoje mesmo. Ajudamos você!

Chame um consultor agora ou agende uma ligação.