Como usar o FGTS para amortizar financiamento: passo a passo

29 Junho 2022 | Atualizado em 02 Agosto 2022
Por Redação imobles

Imagem de carteira de trabalho com papéis ao fundo

Desde 1943, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um direito garantido por lei aos trabalhadores de carteira assinada. Assim, todo mês uma quantia é depositada em uma conta específica de cada trabalhador, servindo como uma segurança financeira em caso de demissão destes colaboradores.

O que muita gente não sabe é que essa reserva pode ser utilizada em algumas situações específicas que não são, necessariamente, uma rescisão de trabalho, como é o caso do uso do FGTS para amortizar um financiamento imobiliário. Legal, né?

Mas, afinal de contas, quando é possível utilizar o FGTS para essa finalidade e como esse processo de amortização de um financiamento imobiliário com o FGTS acontece? Pois bem, todas essas perguntas serão respondidas nos parágrafos seguintes!

FGTS no financiamento imobiliário: em que momento usar

Você pode fazer uso do FGTS para comprar um imóvel da seguinte maneira:

  • Usando o saldo do seu FGTS como entrada do pagamento do imóvel. Nessa opção, basta sinalizar o seu interesse no momento da negociação com o banco.
  • Utilizando o valor acumulado na conta do FGTS para diminuir a dívida total do valor financiado, ou para reduzir o valor das parcelas do financiamento. Esse processo é chamado de amortização do financiamento imobiliário.

Além disso, vale mencionar que é possível utilizar o fundo em todas as formas citadas, dentro do mesmo financiamento. Ou seja, você pode usar o saldo do seu FGTS na entrada e também nas modalidades de amortização.

Como usar FGTS para amortizar financiamento imobiliário?

Basicamente há duas formas de utilizar o FGTS para amortizar o financiamento: adiantando um valor total da dívida ou amortizando as parcelas durante um período.

E essa pode ser uma excelente opção para o uso do seu FGTS. Pois, se considerarmos que o valor guardado nele, tem um rendimento menor do que a poupança, nada melhor do que usá-lo para amortizar o saldo do seu financiamento imobiliário, não é mesmo?

Porém, essa modalidade só é possível a partir do pagamento da primeira prestação do financiamento, ou seja, depois que o imóvel já tiver sido comprado.

Inclusive, havendo saldo suficiente, também existe a possibilidade de quitar o total da dívida usando somente o seu FGTS.

E agora, iremos te mostrar como utilizar o seu FGTS para a amortização no seu financiamento imobiliário.

Conhecendo as modalidades de amortização disponíveis

Para a amortização do saldo da dívida do financiamento imobiliário, usando o FGTS, existem duas modalidades possíveis:

1. Para amortização do total da dívida

Aqui, o saldo do FGTS poderá ser usado para abater uma quantia do valor total que foi financiado.

Então, ao optar por essa modalidade de amortização, os juros do total da dívida são recalculados, o que acaba reduzindo o seu valor nas parcelas, além de encurtar o prazo para a quitação do financiamento.

Essa opção pode ser utilizada a cada dois anos.

2. Para amortização no valor das parcelas

Já nessa modalidade, o saldo do FGTS é utilizado para o abatimento de até 80% do valor de cada parcela, mensalmente, durante o período de 12 meses. É boa uma alternativa para dar aquele “fôlego” num momento de aperto financeiro.

É importante lembrar que, nessa modalidade de amortização, não acontece a redução de juros, pois a dívida não é recalculada como na opção anterior. Nesta situação, o saldo do FGTS incidirá somente na redução do valor da parcela.

A escolha dessa modalidade pode ser feita anualmente.

Como solicitar a amortização com o FGTS?

Para solicitar o uso do saldo do FGTS para amortização, primeiro é preciso estar em dia com o pagamento das parcelas do financiamento e, também, atender aos critérios para a utilização do FGTS.

A solicitação poderá ser feita por ligação ou até mesmo pelo internet banking do banco credor, com a seguinte documentação:

  1. Formulário de autorização para o uso do FGTS, que deverá ser disponibilizado pelo próprio banco;
  2. Última declaração do IRPF com recibo (se retificada, apresentar a original também);
  3. Extrato atualizado das contas de FGTS que serão utilizadas.

A partir dessas etapas, o banco credor irá estabelecer toda a comunicação com a Caixa Econômica para ter acesso ao saldo do FGTS, realizando então, a amortização de acordo com a modalidade solicitada.

Para agilizar esse processo, a nossa dica é acessar o aplicativo do FGTS no seu celular e selecionar a opção que autoriza o banco credor a ter acesso aos dados da sua conta do FGTS.

Deixe seu comentário ou dúvida

Artigos relacionados

Quer falar com um humano?

Respondemos em minutos.

Conversar por WhatsApp