Como financiar apartamento em Goiânia? Passo a passo

02 Junho 2022 | Atualizado em 23 Junho 2022
Por Paulo Prado

Prédios em Goiânia

Ao optar por financiar o seu apartamento em Goiânia, talvez você fique com algumas dúvidas, pois é um grande passo na vida de uma pessoa. Mas, não existe nada melhor do que morar no que é seu, sem ter que se preocupar com as complicações de ser um inquilino, podendo adaptar o imóvel do jeitinho que você gosta e morar durante o tempo que quiser.

Melhor ainda se esse imóvel estiver localizado numa cidade com uma excelente infraestrutura, diversas opções de entreterimento, lazer e área verde, como é a cidade de Goiânia.

Ao pensar em todas essas vantagens, vem aquela vontade de comprar logo o seu próprio apê em Goiânia, não é mesmo? Por isso, reunimos neste artigo o passo a passo para você conseguir financiar o seu.

Como funciona o financiamento de um apartamento em Goiânia?

O financiamento de um apartamento em Goiânia funciona da mesma forma como em todo o Brasil. É uma solução de crédito excelente, pois através dele você pode comprar imóveis novos ou usados, com condições facilitadas de pagamento, além do comprador estar assegurado em contrato para casos de imprevistos.

Inclusive, em Goiânia, o valor do m² é um dos mais acessíveis entre as capitais brasileiras, o que possibilita a compra de um apartamento com excelente custo-benefício.

E, além do tradicional financiamento imobiliário que é feito através dos bancos, também existe a possibilidade de financiar o seu apartamento direto com a construtora, embora essa medida seja vantajosa apenas em casos específicos.

Considerando que as condições entre essas duas modalidades de financiamento são bem diferentes, preparamos um passo a passo para que você saiba qual o melhor jeito de financiar seu imóvel em Goiânia, a partir do seu perfil de comprador. Vamos lá?!

Passo 1: Pré-requisitos do financiamento imobiliário

O financiamento através dos bancos concedentes de crédito é o meio mais comum para a compra de imóveis no Brasil, não é à toa que no ano passado mais de 800 mil residências foram adquiridas através desse recurso, segundo a Abecip - Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.

Na prática, esse é um meio criado para facilitar a aquisição de residências através de um parcelamento de longa duração. O "sistema legal" que regulamenta o financiamento é o SBPE, que dita as regras das modalidades mais comuns de financiamento.

Então, para que você consiga financiar o seu apartamento em Goiânia através dessa modalidade, será preciso o cumprimento de algumas etapas que detalharemos nos próximos passos.

Mas, antes de procurar o banco, confira se você atende a alguns pré-requisitos, que no geral são:

Estar com o nome limpo

Consulte o seu cadastro nas centrais de proteção ao crédito. Nos sites do Serasa e do Boa Vista, você consegue fazer a consulta online e de graça.

Caso encontre alguma restrição em seu nome, entre em contato com a empresa que o negativou e regularize antes de procurar o banco. Assim, você garante muito mais chances de conquistar a aprovação do seu financiamento.

Possuir o valor de entrada mínimo referente a 20% do valor do imóvel

Via de regra, tanto os bancos como as construtoras não financiam 100% do valor do imóvel. Geralmente o teto máximo do financiamento imobiliário é de 80%, sendo necessário dispor do restante do valor como entrada, necessário para realizar a compra.

No caso da compra de um apartamento na planta em Goiânia, o valor pago diretamente à construtora durante o período de construção - que costuma ser equivalente a 30% do imóvel - já serve como entrada para o financiamento.

Ter a renda mínima necessária para financiar 80% do valor do imóvel.

Também é importante lembrar que o valor do parcelamento não pode comprometer mais do que 30% da sua renda mensal bruta. Porém, existe a possibilidade de acrescentar a renda de familiares e outras pessoas próximas a você. Nessa situação, elas também deverão atender aos critérios de avaliação bancária, assim como também serão proprietárias do imóvel junto com você.

Atentar-se para o limite de idade para quitar seu financiamento

O prazo total do financiamento imobiliário, somado à idade do comprador mais velho, se houver mais de um, não podem ultrapassar os 80 anos. Por exemplo: se você deseja financiar o seu apartamento no prazo de 30 anos, você precisa ter até 50 anos para iniciá-lo. No entanto, isso não significa que a partir dessa idade não seja possível financiar, somente o prazo de pagamento que será ajustado de acordo com a idade atual do comprador.

Passo 2: Início ao processo do financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é constituído por três etapas, que detalharemos num passo a passo no decorrer da leitura. É através dessas etapas que o banco irá avaliar se o comprador, o vendedor e o imóvel atendem aos critérios de toda a transação, garantindo assim que nenhuma das partes seja prejudicada.

Confira agora como cada uma delas funciona e tudo o que você irá precisar fazer para dar início ao processo de financiamento imobiliário do seu novo apartamento.

1. Escolha do banco

Para escolher o melhor banco para financiamento imobiliário, você precisa considerar dois fatores: em quais bancos você pode contar com a aprovação de crédito para realizar o financiamento, quais bancos têm as melhores taxas e também é importante não esquecer de avaliar o atendimento da instituição, afinal, você estará atrelada a ela por bons anos.

Para saber em quais bancos você seria aprovado:

simule um financiamento imobiliário e compare as condições que cada um pode lhe oferecer.

Além disso, se você já tem uma relação com alguma instituição bancária, como conta corrente aberta e o recebimento de pagamentos através dela, essa pode ser uma boa opção de aprovação facilitada, uma vez que o banco já conhece seu "histórico como credor".

2. Análise do comprador e pré-aprovação

Aqui você deverá reunir toda a sua documentação para apresentar ao banco e solicitar o crédito. Mas, quais são esses documentos?

Antes de explicar sobre a documentação, deixaremos uma dica: mantenha esses documentos salvos numa pasta do seu computador, e-mail ou nos arquivos em “nuvem” (como o Google Drive ou Dropbox), sempre mantendo atualizado. Dessa maneira, toda vez que precisar, você terá acesso rápido a todos os seus documentos.

Confira logo a seguir, a documentação básica que a maioria dos bancos solicita ao futuro comprador:

Comprovação de identidade
  • Documento de identidade: RG (com até 10 anos de emissão), Carteira Nacional de Habilitação (CNH). No caso de pessoas casadas ou vivendo em união estável, apresente o documento do cônjuge também.
  • Comprovante de endereço: de preferência que estejam em nome do(s) comprador(es), como conta de luz, água, telefone ou correspondência bancária.
  • Comprovante de estado civil: certidão de nascimento para quem for solteiro, certidão de casamento para pessoas casadas ou divorciadas. Caso esteja em união estável, apresentar escritura pública da união estável.

A seguir, detalharemos a documentação para comprovação de renda. Note que para cada perfil profissional será solicitado um tipo de documentação. Para quem trabalha com carteira assinada, normalmente essa parte é simples. Mas, para os profissionais com renda variável, serão necessários mais documentos. Veja quais são:

Comprovação de renda para assalariados
  • 3 últimos holerites;
  • cópia da última declaração e recibo de entrega do Imposto de Renda.
Comprovação de renda para profissionais liberais
  • Extratos bancários dos últimos 3 meses da conta corrente da pessoa física;
  • cópia da última declaração e recibo de entrega do Imposto de Renda;
  • comprovante de atividade, como a carteirinha profissional (OAB, CRM entre outras…).
Comprovação de renda para empresários
  • Extratos bancários dos últimos 3 meses da conta corrente da pessoa física e jurídica;
  • cópia da última declaração e recibo de entrega do Imposto de Renda da pessoa física;
  • contrato social da empresa e sua última alteração;
  • declaração de faturamento dos últimos 12 meses, que deverá ser assinada pelo contador.

A comprovação da renda pode gerar muitas dúvidas entre os profissionais que não possuem renda fixa. Por isso, caso você não tenha uma renda formal para financiar, veja mais detalhes sobre a comprovação em nosso artigo sobre o assunto.

Nessa etapa, após a entrega de toda a documentação, o banco normalmente retorna com uma posição de 2 a 7 dias. Em alguns casos, poderá levar menos tempo, mas isso irá depender também do banco escolhido e do seu relacionamento com ele.

Passo 3: Aguardar a análise jurídica e vistoria do imóvel

Com o “sim” prévio do banco, você pode dar sequência ao processo de financiamento, que parte para a fase de análise mais detalhada de toda essa papelada. Essa etapa ficará a cargo do banco, mas você também deve ficar por dentro de como ela funciona.

Após a aprovação do crédito pelo banco, chega o momento da análise jurídica, bem como a vistoria do imóvel.

Nesse momento, será feita uma avaliação da documentação de cada parte envolvida no processo: comprador, vendedor e o imóvel, com o intuito de investigar se não existe algum processo em andamento ou pendência que impeça a conclusão da compra.

Já a vistoria do imóvel será realizada pelo engenheiro que o próprio banco acionará, para se certificar de que o apartamento encontra-se nas mesmas condições descritas em sua documentação.

Essa é a etapa mais criteriosa, por isso, o seu prazo de conclusão geralmente é de 20 a 45 dias.

Passo 4: Assinatura do contrato e liberação de crédito

Tudo certo na etapa anterior? Ótimo, chegamos na reta final! Agora, o banco emitirá o contrato de financiamento para colher as assinaturas do vendedor e do comprador do imóvel.

Por fim, você deverá realizar o pagamento das taxas bancárias e do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis). Em relação ao ITBI, o valor varia, pois cada prefeitura estabelece a sua porcentagem. No entanto, ele costuma equivaler a 2% do valor do imóvel.

Além disso, é nesse momento que a parte burocrática de oficializar a compra acontece, com o registro no cartório e emissão da matrícula atualizada.

Quanto tempo leva para finalizar todo o processo?

O financiamento imobiliário pode levar em média até 60 dias para a sua conclusão, devido a toda avaliação e análise que ela demanda.

Mas esse é um prazo médio e poderá variar conforme cada processo.

Apartamento financiado pela construtora em Goiânia

Além do tradicional financiamento imobiliário que você acabou de conhecer, outro caminho para fazer o parcelamento do seu apê em Goiânia é o financiamento direto com a construtora.

Geralmente, nessa modalidade, as condições de pagamento e os meios de comprovação de renda tendem a ser mais flexíveis em comparação com o financiamento imobiliário feito através do banco.

Por outro lado, as taxas de juros são maiores e o prazo para quitação do financiamento é mais curto, variando de 5 até 7 anos no máximo.

Agora você pode estar se perguntando: então quando é uma boa opção o financiamento direto com a construtora?

Essa pode ser uma boa opção para quem dispõe de um bom valor de entrada ou prefere financiar em poucos anos, por exemplo. Porque apesar de ser mais caro, essa modalidade pode funcionar para determinadas pessoas.

Esse é o momento para ter seu novo apartamento em Goiânia!

Sobre as modalidades de financiamento, seja através de um banco ou direto com a construtora, o mais importante de tudo é sempre considerar qual a melhor opção para você.

E agora que você já está bem informado sobre o assunto, chegou a hora de financiar o seu novo apartamento em Goiânia! Mas saiba que você não estará sozinho nessa jornada. Para te acompanhar neste processo, você pode contar com o auxílio da nossa equipe de financiamento durante. Que tal agendar uma consultoria de financiamento agora mesmo?

Confira os últimos lançamentos imobiliários

Deixe seu comentário ou dúvida

Artigos relacionados

Em qual bairro de Goiânia você quer morar?

Recomendações imobles

Encontre o apartamento ideal hoje mesmo. Ajudamos você!

Chame um consultor agora ou agende uma ligação.