Escute o conteúdo por áudio:

Provavelmente, ao ler a pergunta do título, a primeira resposta que passou pela sua cabeça foi a localização do empreendimento. E já iremos adiantar: sim, o endereço é o quesito que mais impacta no valor do imóvel. Mas não só isso.

Na hora de analisar o que pode deixar o apartamento do seu interesse mais caro, também é preciso considerar questões como o andar do empreendimento e a posição solar. Até a vista do imóvel pode impactar no quanto você vai desembolsar para chamá-lo de seu!

Neste artigo, iremos te mostrar como cada um desses aspectos influencia no valor final do imóvel, para que você possa analisar suas preferências e entender qual imóvel cabe no seu bolso. Vamos lá?!

Para facilitar sua experiência, basta utilizar o menu clicável abaixo:

Bairro e localização do empreendimento

Pense no apartamento dos seus sonhos: espaçoso, com suíte, varanda gourmet, piscina e outros detalhes que você sempre quis, e o melhor: com um preço abaixo do que você esperava! Dá vontade de fechar negócio o quanto antes, não é? Agora, imagine que esse mesmo apartamento se localiza em um bairro perigoso ou de difícil acesso. Esse fator vira completamente o jogo, certo?

Pois é. Como já adiantamos, a localização do empreendimento tem um impacto direto no valor do imóvel. Afinal de contas, se a construção está próxima a uma área central, possui acesso fácil a serviços essenciais ou fica próxima a regiões nobres, a procura por esses locais acaba sendo muito maior, o que provoca o aumento nos preços. 

Além disso, a qualidade de vida do bairro influencia diretamente no preço. Em Goiânia, por exemplo, há uma grande procura por localizações próximas a áreas verdes da cidade, como parques, praças e lagos, bem como proximidade a shoppings. Portanto, os empreendimentos que ficam próximos a esses locais são amplamente valorizados, como por exemplo no entorno do Parque Vaca Brava, no Setor Bueno, ou do Parque Areião, no Setor Marista.

Também leve em consideração outros fatores, como o nível de segurança e a infraestrutura do bairro, variedade de opções gastronômicas e a proximidade a comércios. Por fim, tenha em vista que esses fatores influenciam diretamente no preço por metro quadrado de cada Setor, como mostra o gráfico abaixo.

Gráfico do Preço médio por m² dos principais setores de Goiânia
Gráfico do Preço médio por m² dos principais setores de Goiânia

Utilizamos um indicador regional e pioneiro para calcular os valores de metro quadrado nos principais setores da capital goiana e agora você também pode acessar o Índice imobles de metro quadrado em Goiânia aqui.

Posição solar do imóvel

A incidência solar é outro fator decisivo na conta, uma vez que a luz do sol tem tudo a ver com o conforto térmico que você terá dentro de casa durante o ano. Como o Brasil é um país tropical, e grande parte das regiões têm clima quente, geralmente os compradores desejam imóveis nascentes, ou seja, com fachada virada para o leste.

O problema é que essa preferência (literalmente) tem um preço: os apartamentos nascentes tendem a ser mais caros que os poentes. Isso porque empreendimentos com face voltada para o leste ajudam a manter o clima dentro de casa mais ameno. Em contrapartida, o sol da tarde costuma provocar um abafamento nos ambientes, principalmente em cidades de clima quente e seco, como Goiânia.

Observe esse exemplo: na planta do Finest Bueno, da Serca Construtora, por andar há dois apartamentos nascentes, com final 02 e 04, e dois apartamentos com características poentes, com final 01 e 03, como na planta abaixo. Nesse empreendimento, localizado no Setor Bueno, a diferença de preços entre dois apartamentos em um mesmo andar e com a mesma metragem, sendo um majoritariamente nascente e outro poente, pode chegar a R$ 15 mil!

valor do imóvel
Posição solar e croqui do Finest Bueno

Andar e vista do apartamento

Se o seu sonho de consumo é um apartamento alto e com uma bela vista para o parque, por exemplo, esteja preparado para desembolsar uma quantia extra! Isso porque é comum que algumas construtoras aumentem o preço das unidades conforme o andar e a paisagem que as janelas e varandas exibem. Assim, quanto mais alto o apartamento, maior é o valor. Nesse caso, o principal motivo é a demanda do mercado e, inclusive, quando um empreendimento é lançado, é bem comum que as unidades mais altas sejam vendidas primeiro, uma vez que é preferência dos compradores.

Novamente, observe o exemplo do Finest Bueno. Com 29 pavimentos, sendo 24 apenas de apartamentos, a diferença entre as unidades no 1º e no 24º andar é de R$ 19 mil.

Finest Bueno
Fachada do Finest Bueno

Atrelado a esse fator, a vista também influencia no valor do imóvel. Se a fachada está virada para um parque ou outros lugares conhecidos pela sua beleza, ele é mais valorizado que aqueles que possuem a parede do prédio vizinho como vista, por exemplo. 

Vaga de garagem, escaninho e área de lazer

Seja por praticidade ou necessidade, cada vez mais brasileiros estão adquirindo veículos próprios. Em um levantamento disponibilizado pelo Denatran em maio de 2021, foram contabilizados mais de 58,5 milhões de automóveis e 24,1 milhões de motocicletas em todo o Brasil. Mais carros nas ruas, mais trânsito e, consequentemente, mais busca por vagas de garagem em empreendimentos! Em empreendimentos da capital goiana, o fator pode representar, em média, 15% do preço total do imóvel.

Por exemplo: o Ritmo Bueno, da CMO Construtora, possui unidades de um quarto com e sem vaga de garagem. A diferença entre o valor de apartamentos sem para com vagas chega a R$ 30 mil! E pode ir ainda mais além: entre os apartamentos com garagem, a variação entre vagas descobertas e cobertas pode chegar a R$ 5 mil.

Além disso, o escaninho, uma espécie de “mini depósito” que alguns lançamentos imobiliários possuem, também conta no valor do imóvel.

Por fim, a área de lazer é responsável por cerca de 10% do preço. Inclusive, cada vez mais, as construtoras estão apostando em opções diversificadas de lazer, como salão de festas gourmet, brinquedoteca e até mesmo sala de cinema. Lembrando que essas facilidades não irão influenciar somente no valor da compra do imóvel, mas também no preço do condomínio.

Acabamento da unidade e possibilidade de personalizar o imóvel

Imagine que você vai visitar um imóvel e ele possui acabamento em gesso, fechaduras e torneiras brilhantes, piso de porcelanato e azulejos novinhos em folha. Podem parecer pequenos detalhes, mas, no fim, chamam muito a atenção, não é mesmo?

O acabamento de um apartamento é o toque final de uma construção e serve para que o local fique aconchegante, além de dar um charme ao apartamento. No entanto, tenha em mente que esse diferencial irá, sim, refletir no valor do imóvel.

Além disso, alguns empreendimentos possuem plantas flexíveis. Essa é uma tendência que vem ganhando força nos últimos anos, a qual permite que o comprador opte pelo tipo de acabamento que irá querer no apartamento. Há, também, a possibilidade de customizar a planta, como é o caso do Tempus, do Grupo Palme em parceria com a Trinus Co. Aqui, é possível escolher se o apartamento terá 1 ou 2 suítes ou 3 quartos com 1 suíte.

Nesse caso, normalmente os pacotes de personalização são oferecidos pelas construtoras e, claro, há um custo adicional nisso. A longo prazo, essa escolha pode ser mais vantajosa, caso você já esteja pensando em como personalizar seu imóvel. Isso porque, caso você tenha essa vontade, custos extras com reformas podem sair mais caros do que o investimento de personalizar a planta.

Grau de conservação do empreendimento

Antes de qualquer coisa, precisamos deixar claro que esse tópico envolve principalmente imóveis usados. Isso porque o nível de conservação e a idade do empreendimento impactam diretamente no valor desses imóveis.

Quanto à idade, se a conclusão do empreendimento tem até cinco anos, isso o configura como imóvel seminovo. Já quando passa dessa data, ele passa a ser considerado como usado, o que resulta na diminuição do seu preço. O mesmo se aplica a outros fatores como a tecnologia utilizada no projeto arquitetônico e a própria infraestrutura que o imóvel fornece. Empreendimentos mais antigos, muitas vezes, não têm área de lazer, o que diminui seu valor total.

Já quanto ao grau de conservação de aspectos internos, vai depender muito do cuidado que o proprietário do imóvel tem com a unidade. Aqui, também podemos levar em consideração fatores como o acabamento, reformas, cuidado com a parte elétrica e hidráulica, entre outros fatores. Por essa razão, durante a hora da visita ao apartamento, fique atento a esses custos e verifique se o valor do imóvel anunciado realmente condiz com o seu estado.

Outros fatores que influenciam no valor do imóvel

Além das questões que citamos acima, existem outros custos que incidem sobre o valor do imóvel, como taxas de financiamento, documentação e mudança. Se você quer saber melhor quais são e qual o impacto, temos um conteúdo inteiro dedicado ao assunto. É só clicar no botão abaixo!