Essa é uma das dúvidas mais frequentes entre os clientes imobles. Afinal, a preparação financeira para ambos é diferente. Como toda decisão é necessário ver os dois lados, criamos esse conteúdo para esclarecer dúvidas para que você faça a melhor escolha entre comprar ou alugar um imóvel.

O que as duas têm em comum é o comprometimento. Sendo com um aluguel ou com um financiamento, você precisa se comprometer em um tempo determinado em contrato. Por isso, são vários fatores que levamos em conta, como planejamento financeiro, planejamento de carreira, de vida, e por aí vai.

Em muitos casos, a baixa taxa de juros pode facilitar a compra do imóvel com novas modalidades de financiamento imobiliário. Muitas vezes o valor da prestação chega muito próximo do valor do aluguel.

Alugar – qual o melhor momento?

Muitas pessoas que não possuem a quantia necessária para dar entrada em um financiamento, optam pelo aluguel. Apesar dos imóveis alugados darem a impressão de falta de liberdade, em algumas situações essa modalidade pode dar mais vantagem para quem a escolhe.

Em casos de incertezas com o futuro, como ter uma família, estabilidade ou planos de sair do país, com certeza alugar é sua melhor opção. Existe também um cálculo baseado na taxa de retorno do imóvel, que entrega a resposta se alugar é, de fato, melhor do que comprar. Este cálculo leva em consideração que você tenha o dinheiro do imóvel e aplique em investimentos. 

Para isso, você divide o valor do aluguel pelo valor de venda do imóvel e multiplica por 100. Se o imóvel que você quer custa R$200 mil e o aluguel é de R$1000, a conta seria: 

1.000 / 200.000 x 100 = 0,5. Se você aplicar os R$200 mil em qualquer aplicação financeira que ofereça um rendimento maior que 0,5% ao mês, com os rendimentos você paga o aluguel e até mesmo reinveste. 

Outro ponto positivo sobre o aluguel é a manutenção do imóvel – que todo gasto fica com o proprietário. Mas é importante destacar que qualquer mudança que você faça enquanto mora nele, como pintar paredes ou outra mudança simples, é preciso ser revertida assim que o contrato de locação se encerra. Entregando o imóvel exatamente do jeito que você o pegou.

Se você pensa em alugar para manter uma reserva financeira, é importante encontrar um imóvel que todos os gastos some até 20% da renda familiar. E essa modalidade dá a liberdade de mudar de bairro e cidade com mais facilidade.

Comprar – qual o melhor momento?

Já começamos este tópico falando que o ponto principal da compra do imóvel é a estabilidade financeira. Se você não tem o valor total do imóvel, é preciso fazer um financiamento imobiliário, que nada mais é que um compromisso a longo prazo.

Para conhecer melhor o passo a passo do financiamento imobiliário, confira nosso conteúdo!

A compra de um imóvel é um evento planejado, precisa garantir que você terá rendimentos suficientes para arcar com as parcelas do financiamento por um longo período, que pode ir até 35 anos. Porém, você tem a liberdade de ter um imóvel registrado em seu nome.

Dentro das vantagens de comprar está a liberdade de poder fazer mudanças e reformas como bem quiser. Se você compra um imóvel na planta, por exemplo, essas reformas podem ser feitas antes mesmo de você morar no local.

Mas tem quem compre imóveis como investimento. Quando alugados, os imóveis geram rendimentos para o proprietário que se assemelham com aplicações de renda fixa. Também temos a valorização do imóvel, onde você pode comprá-lo em baixa e vender na alta.

Já falamos aqui sobre comprar na planta ou pronto para morar. Se você tem a disponibilidade de esperar, comprar na planta pode ser mais vantajoso para quem espera que seu imóvel se valorize depois da aquisição.

Qual a melhor opção, comprar ou alugar um imóvel?

Uma resposta que tem muitas variáveis, pois dependem do momento pessoal de cada um. Então, depende exclusivamente da sua situação financeira e dos seus objetivos de vida. Comprar um imóvel em um alto investimento inicial, mas é um patrimônio para toda a vida.

Em contrapartida, alugar não demanda um alto investimento de início e não traz retornos financeiros significativos no longo prazo. Porém te dá a liberdade de trocar de cidade ou bairro em um tempo menor.

Se você ainda tem essa dúvida, entre em contato com nosso time de especialistas para entender cada caso de forma isolada. Assim, você encontra a opção certa de imóvel para o seu momento!